05:42:10 Quinta, 21 Novembro 2019

Uma estreita estrada que serpenteia entre vales vulcânicos conduz à pacata vila de Moya, que merece uma visita pela sua curiosa igreja paroquial de estilo neo-românico, concluída em 1957. Foi também em Moya que nasceu Tomás Morales, um dos mais ilustres poetas modernistas espanhóis.

Situada junto ao penhasco do Barranco de Moya, a imponente igreja paroquial possui duas altas torres e exibe no interior interessantes esculturas, incluindo uma imagem do século XV em madeira de cedro da Virgen de la Candelaria, a sua padroeira.

Do lado oposto do adro da igreja fica a casa natal de Tomás Morales (1884–1921), o mais popular poeta das Ilhas Canárias. Em 1976 o edifício foi transformado numa casa-museu dedicada à vida e obra deste médico e poeta, exibindo fotografias suas, manuscritos, primeiras edições, pinturas, a máquina de escrever Remington que utilizou e muitas outras peças. Actualmente, o museu organiza também exposições de arte contemporânea.

Moya é igualmente famosa por um dos mais apreciados doces da ilha – os “bizcochos lustrados” (uma espécie de bolinhos de massa de pão-de-ló glaceados). Não deixe de os provar ou comprar antes de partir!