05:53:32 Quinta, 21 Novembro 2019

O restaurante junto à entrada principal é um excelente local para apreciar uma bela panorâmica deste jardim botânico (Jardín Botánico Canario Viera y Clavijo) fundado em 1952 pelo sueco Eric Sventenius, que permaneceu como seu director até falecer em 1973. A maior parte do jardim estende-se numa encosta íngreme do Barranco de Guiniguada, percorrida através de calçadas em escadaria que passam por grutas e cascatas até chegar às áreas mais baixas e planas. O carácter acidentado do terreno torna-o pouco adequado a pessoas com mobilidade reduzida.

Ostentando o nome de José de Viera y Clavijo, autor do “Dicionário de História Natural das Canárias”, este jardim botânico foi dedicado à flora endémica das sete ilhas do arquipélago, embora inclua vegetação oriunda de todas as ilhas da Macaronésia – a região insular que, além das Canárias, inclui a Madeira, os Açores e Cabo Verde.

As diversas espécies encontram-se distribuídas por socalcos que reconstituem os seus habitats naturais. Logo à entrada irá encontrar uma pequena laurissilva – um tipo de bosque formado por lauráceas (plantas da família do loureiro), que antes da chegada dos Espanhóis revestia a ilha mas hoje se encontra quase totalmente destruído. Seguindo pela Carretera del Dragonal irá deparar-se em primeiro lugar com a Plaza de las Palmeras, dedicada à palmeira-das-Canárias, uma planta endémica do arquipélago e que se encontra em todas as suas ilhas.

Turismo
Pico de las Nieves
Sioux City

Entre outras atracções destacam-se o Jardín de las Islas (Jardim das Ilhas), com um relvado central dividido em canteiros de rochas onde crescem diferentes espécies de plantas das Canárias agrupadas segundo a ilha de origem, e o Jardín Macaronésico, onde poderá apreciar as belas plantas ornamentais da região.

Este jardim botânico é um autêntico paraíso para os botânicos e apreciadores da natureza, merecendo sem dúvida uma visita.

Horário de abertura:
Todos os dias, das 9h às 18h – encerra no dia de Ano Novo e na Sexta-Feira Santa.