00:53:28 Segunda, 18 Novembro 2019

Uma estrada sinuosa mas muito bonita conduz até Artenara, que é uma das aldeias mais elevadas e antigas da ilha, a uma altitude de 1270 m. Uma estátua de Cristo Redentor que lembra a do Rio de Janeiro acolhe aí os visitantes.

Aninhada na encosta da montanha, esta peculiar aldeia é sem dúvida a mais espectacular da ilha, com muitas casas escavadas na rocha ocupando cavernas que datam dos tempos pré-históricos. No entanto, as suas fachadas pintadas dão-lhes um aspecto aparentemente comum – e a maioria delas está equipada com todas as comodidades modernas.

Não deixe de visitar a capela de La Ermita de la Cuevita, instalada numa caverna. Encontra-se aí a imagem da Virgen de la Cuevita, homenageada a 15 de Agosto com uma grande festa. Se não fosse o sino colocado sobre a entrada, seria difícil reconhecer a estrutura como um templo. A Iglesia de San Matías, sede da paróquia local, tem um aspecto mais convencional.

Cerca de 12 km a oeste de Artenara vale a pena visitar, mesmo com tempo nebuloso, a reserva natural de Pinar de Tamadaba, que protege o maior pinhal da ilha. Depois de contornar o Pico de Tamadaba (1444 m) poderá apreciar a panorâmica espectacular sobre a Caldera de Tejeda, a costa oeste da ilha e o monte Teide, na vizinha Tenerife. Em dias de neblina, o pinhal proporciona um cenário de contos de fadas, com enormes penedos entre as árvores, cobertas de líquenes que pendem dos galhos como véus amarelo-esverdeados. Este parque natural é um destino esplêndido para caminhantes e apreciadores da natureza.